sexta-feira, 23 de setembro de 2016

7 coisas que os Especialistas em Emergências Médicas gostariam que você soubesse sobre quedas de bikes

Achei este artigo extremamente interessante e resolvi traduzi-lo para espalhar ainda mais a informação.
O original está aqui: http://www.bicycling.com/rides/safety-etiquette/7-things-emts-wish-you-knew-about-bike-crashes

Estas dicas podem salvar sua vida em caso de uma queda mais grave de bike

Se planeje
Não importa o quão bom piloto você seja, acidentes acontecem, e rápido. Mas com um pouco de conhecimento e algumas precauções, você pode impedir que uma situação ruim piore, diz Greg Martin, um bombeiro e experiente socorrista que presta assistência médica e efetua resgates em Ketchum, Idaho.

"Ciclistas estão acostumados a pedalar o dia todo e nada acontece", ele diz. "É fácil esquecer que às vezes estamos indo muito rápido e longe e mesmo um pequeno acidente pode se tornar um grande problema. Com um pouco de conhecimento e precauções podem ser fundamentais para mantê-lo salvo, mesmo quando algo ruim acontecer"

Aqui vão as dicas do que Martin está dizendo e que podem ajudar a diminuir os estragos e talvez até salvar a sua vida em um acidente de bike:

Cuide da sua cabeça


"Ferimentos na cabeça sempre trazem preocupações", diz Martin. "Sempre ouvimos sobre pessoas que esquiam e batem a cabeça, mas também pode acontecer com ciclistas. Alguém cai,  bate a cabeça, levanta e dá uma sacudida. Depois de um tempo se sente mal e não imagina que possa ter tido um derrame. Isso pode matar você, então é sempre melhor levar à sério impactos na cabeça:
Em uma rápida ligação para o Resgate (192), você ou outra pessoa deve dizer:

  • Capacete quebrado. Que significa que você bateu forte com a cabeça
  • Dor de cabeça. Não apenas a dor do impacto inicial, mas uma dor mais contínua que aumenta com o tempo
  • Perdeu a consciência. Se você desmaiar, é necessário verificar isso. Não deixe de ir ao hospital.
  • Confusão. Se você não sabe quem é o presidente (aqui no Brasil sempre muda, então melhor fazer outra pergunta... rs) ou por que está sentado no chão, melhor ir ao hospital.
  • Visão confusa. Se sua visão está turva ou fora de foco, definitivamente você precisará ir a um hospital
Aproveitando, fiz alguns post sobre capacetes:


Respire longa e profundamente

IMAGE BY JAMES HEILMAN, MD/WIKIMEDIA COMMONS

Dificuldade de respirar é sempre uma situação de emergência. "É muito comum as pessoas cairem e imaginarem que quebraram as costelas. Mesmo assim elas pensam 'Por que ir ao Hospital? O que eles farão?'", diz Martin. "Mas é preciso ir, porque uma costela quebrada pode perfurar o seu pulmão". Então a regra é, se quando você respira profundamente dói, vá ao hospital.


Verifique seu Abdome



Existem inúmeros tecidos e órgãos vitais na sua barriga e eles podem ter sido machucados com um impacto, principalmente do guião. Use as mãos para apalpar o seu abdome. Se existir alguma área mais macia que outra, você pode ter tido algum machucado mais grave. Se sua barriga ficar distendida ou muito firme, isso pode ser sinal de sangramento interno e você precisará de assistência médica urgente
Tivemos um caso desse com um amigo que após uma queda boba, bateu o guidão no fígado que sofreu uma dilaceração. Por sorte ele é médico e foi logo ao hospital, mas o caso foi bem sério e ele precisou de quase 60 dias sem esforço físico para se recuperar.

Estanque o Sangue

A menos que você seja um profissional treinado, esqueça das cenas que vemos em filmes sobre torniquetes bacanas ao redor do membro para estancar o sangue. O risco de você piorar a situação é maior. A melhor forma para lidar com um sangramento é fazer o básico dos primeiros socorros - pressão direta e contínua (de preferência com algo limpo) sobre a ferida. Mantenha assim até a ajuda chegar.


Não dê bobeira com sua coluna

IMAGE BY PUBLICDOMAINPICTURES/PIXABAY

Ferimentos no pescoço e na coluna são perigosos. Normalmente podemos verificar se estamos OK testando os dedos das mãos e dos pés. Obviamente, você deve ser capaz de sentir seus dedos, mas se ainda assim tiver algum formigamento ou alguma coisa ficar dormente, isso não é bom. Você pode ter tido algo na sua coluna. Tente também, devagar, virar sua cabeça 45 graus para a direita e esquerda. Se sentir algum desconforto, pare. Isso também é sinal de problemas na coluna. Procure imediatamente um hospital.



Deixe suas informações pessoais acessíveis

Se você usar sistemas como o Road ID , dog tags ou mesmo o sistema ICE (in case of emergency) presentes nos capacetes Bell, por exemplo, ou mesmo ter as informações no seu celular, isso irá ajudar muito a equipe de socorro e, talvez, salvar a sua vida, diz Martin. "Nós precisamos saber sobre medicações e alergias. Existem muitos remédios que não podemos ministrar se você for alérgico a eles e nós não ministramos se não temos certeza."
Os novos IPhones vêem com um app SAÚDE onde há um local para você preencher uma ficha médica e o pessoal da saúde têm acesso a ele mesmo sem desbloquear o telefone. "Nós sabemos como acessar o app se você estiver inconsciente ou fora de si, após uma queda.", diz Martin.

Deixe uma mensagem ou um recado




Principalmente se for pedalar sozinho. Não leva 5 segundos deixar um recado ou enviar uma mensagem para um amigo ou quem você ama.
"Todos nós somos culpados disso," diz Martin. "Saímos para uma girada rápida e ninguém sabe onde estamos indo. Mesmo que for só alguns quilómetros de distância, se ninguém sabe onde você está é o mesmo que estar à centenas de quilómetros." Quanto mais longe e mais remoto for o local do pedal, mais importante ainda deixar essa mensagem.
Lembrem-se do filme 127 horas 


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Se aposentar? Qualidade de vida? Largar tudo?


Começo esse post com essa foto. Ela foi tirada pela minha irmã que está na Nova Zelândia fazendo a viagem dos sonhos de, arrisco eu dizer, mais da metade dos habitantes do nosso planeta.

Ontem ouvindo à CBN o programa Dia a Dia da Economia com a Miriam Leitão, ela falou uma coisa que me deixou intrigado.

Ela presenciou uma conversa no avião de duas pessoas (52 e 48 se não me engano) que falavam sobre as mudanças na previdência e como eles estavam indignados com o governo, pois queriam se aposentar logo. Isso a deixou perplexa, pois nessa idade, ainda somos muito produtivos e o Brasil precisa mais de trabalhadores que de aposentados.

Sozinho no carro concordei imediatamente e ao mesmo tempo tive um sentimento de que, se eu pudesse, também me aposentaria (tenho 42). Me vi aí em um dilema e resolvi parar para analisar os fatos, minha vida e esse sentimento.

Hoje cheguei à uma conclusão e resolvi compartilhar.

Tenho quase certeza que o "rapaz" de 48 anos não quer se aposentar para receber sem fazer nada e passar a viver às custas do estado. Pelo menos não é esse sentimento que eu tenho ou que vejo em amigos que estão próximos da aposentadoria.

Todos querem continuar trabalhando, só que "naquilo que gostam" ou pelo menos com menos intensidade.

Analisando um pouco mais, percebi que o que as pessoas realmente querem é diminuir a pressão das contas no fim do mês. A preocupação com dinheiro

Temos uma carga de impostos altíssima de mais de 33%. Se somarmos ainda a conta dos serviços que essa carga tributária deveria nos fornecer (saúde, educação e segurança, por exemplo), com certeza chegaremos a 75% do orçamento doméstico.

Meu caso: dois filhos em escolas particulares para garantir um ensino melhor. O próprio governo admite isso quando oferece cotas em faculdades para quem estudou em escola pública.
Plano de saúde para a família toda e nem preciso explicar porque.
E a questão da segurança, já que a falta dela torna os meus seguros (residencial e automotivo) mais caros e praticamente me obriga a morar em condomínio fechado (adoraria morar na rua e não precisar pagar mais essa taxa)

Dos 25% que sobram tiramos as demais contas (alimentação, vestuário e transporte), quanto sobra para o lazer? Quando o governo acha que eu devo começar a me divertir? 65?

O ponto não é se aposentar para se divertir. Não quero ter uma vida tranquila quando tiver dificuldades de andar ou quando já não tiver mais condições para fazer uma caminhada por uma trilha.

As pessoas querem viver bem desde já e tenho certeza que pessoas felizes trabalhariam com prazer mesmo depois dos 65 anos. Vejo meu pai com 70 procurando emprego e ávido para ser produtivo. Primeiro por que ele precisa financeiramente e segundo por que ele gosta de trabalhar.

Poucas são as pessoas que se aposentam e realmente não fazem mais nada, aliás, essa é a melhor forma de adoecer mental e fisicamente. Ficar sem fazer nada!

Conversando com os amigos, tenho ainda mais convicção do que estou falando. Mais e mais pessoas querem vender tudo, simplificar a vida para viver melhor.

Na Austrália, soube que empregos que não exigem alto grau de escolaridade pagam o suficiente para que as pessoas vivam decentemente. É possível morar, se alimentar e, eventualmente, viajar.
Essas pessoas não andam em carros de luxo, é verdade, mas estão felizes com suas escolhas. Assim elas continuam fazendo a sua parte, trabalhando, contribuindo e o governo a parte dele, fornecendo infraestrutura, estabilidade econômica e serviços de qualidade.

Então o ponto principal é, não quero me aposentar para parar de trabalhar. Aliás, queria trabalhar até morrer. O que não quero é morrer de trabalhar, chegar no fim do mês e ter que fazer conta. Dizer não para algum desejo do meu filho porque "esse mês não dá" e mesmo trabalhando muito, ter a sensação de que a vida está passando e eu não estou vivendo

Quero fazer a minha parte, mas quero que o governo faça a dele e assim ter uma vida feliz, intensa e produtiva. Acredito que o problema da previdência, é bem mais embaixo e não um simples desequilíbrio entre despesas e receitas. É preciso repensar no modelo como um todo, mas isso fica para outro post.

Sobre repensar a vida, seguem mais algumas imagens da Nova Zelândia!






Abraços a todos

domingo, 18 de setembro de 2016

DH em Igatu - BA

Igatu é um cidadezinha com aproximadamente 500 habitantes. Fica a cerca de 40 km de Lençóis na Chapada Diamantina.
Já foi um dos garimpos mais ricos do país e hoje sobrevive do turismo.
O que eu sei é que lá tem um DH técnico de 11 km fantástico e muito divertido.

Fiz um video dos melhores momentos. Nenhum salto, nenhum drop sinistro, mas muita pedra, areia e uma paisagem estonteante!


Se quiserem mais detalhes da viagem completa pela Chapada Diamantina, segue o link:
http://www.moscajustforfun.com.br/2016/08/trilha-de-bike-pela-chapada-diamantina.html